Todas as mensagens tem o propósito de levar
Cristo Para Todas as Nações!

segunda-feira, 14 de março de 2016

Santa Ceia




SACRAMENTO: Você sabe ou lembra o que é?  A Santa Ceia e um sacramento.  O termo não é bíblico.  Foi introduzido pela Igreja Primitiva para definir os meios da graça: Batismo e Santa Ceia.
No anexo vai a reflexão sobre Santa Ceia, tema de nosso culto temático do último sábado.  Abençoada reflexão.  Só lhe pergunto: VOCÊ TEM PARTICIPADO DA SANTA CEIA? 
Tenha um dia abençoado.
Pst Heldo



Pinhais, 12/03/2016

S E R M Ã O


Texto: 1 Co 11.23-28
Tema: O sacramento da Santa Ceia

        Amados no Cordeiro de Deus.

        A mensagem deste culto se baseia no texto mais antigo sobre o relato da instituição da Santa Ceia, que é 1 Co 11.23-28. Preferimos optar em meditar mais uma vez sobre este tema tão querido para nós, mas tantas vezes mal entendido e, pior ainda, mal praticado por muitos de nossos membros.  O texto nos propõe que falemos sobre o sacramento da Santa Ceia.  

        Vocês ainda lembram o que é um sacramento?  Lutero explica: “Sacramento é um meio da graça de Deus pelo qual ele, juntamente com sua palavra e sinais visíveis (água, pão e vinho) nos oferece o perdão, a vida e a salvação em Cristo”.  De um lado o sacramento do batismo cria e opera a fé e, por outro, pelo sacramento da santa ceia, também a conserva e fortalece.  O batismo é o Sacramento da iniciação e a Santa Ceia o Sacramento da continuação.

        E por que Jesus instituiu os sacramentos?  Não seria suficiente para Deus nos oferecer seu perdão e amor por meio de sua palavra, suas promessas?  Quanto à santa ceia não sabemos o real motivo porque Jesus a instituiu.  Ela não oferece nem dá mais perdão além do que a palavra de Deus nos oferece.  Só Deus sabe por que Jesus a instituiu.  Mas sabemos que ela é uma ordem para nós, de a comemorarmos em todos os cultos, assim como o fazia a igreja primitiva, como podemos ler em Atos 2.47, onde lemos que diariamente os apóstolos e cristãos primitivos tinham cultos com santa ceia.

        Deus nos fala por meio de sinais que podemos entender.  Ele nos deu sua palavra, ele nos fala por meio do universo por ele criado, mas também nos fala por meio dos sacramentos.  Diz Lutero que o maior sacramento é Jesus Cristo morrendo na cruz.  Mas uma coisa para nós deve ser certa: que tanto o batismo como a santa ceia são uma maneira especial pela qual Deus se comunica conosco, pela qual o Senhor nos fala e vem a nós com palavras de perdão, vida e salvação.  Por isso, os sacramentos nunca são juízo ou condenação; são 100% redenção.

        Deus fala e espera que nós lhe respondamos: SIM ou NÃO.  E toda a resposta, todo o SIM a Deus de nossa parte só acontece por meio da fé.  Mas verdadeira fé só existe onde existe a certeza no perdão de Cristo.  Não há outra maneira de nós entendermos Deus e nem de entrarmos em contato com ele a não ser por meio da verdadeira fé no Filho de Deus, que realizou o maior sacramento ao se entregar à morte na cruz pelos pecados do mundo.

        Por isso é que a santa ceia, da qual estamos tratando de novo neste culto, não é outra coisa do que o mais puro Evangelho, a Boa Nova de Deus em toda a sua profundidade.  Na santa ceia Cristo está pessoalmente presente com o seu corpo e sangue, mesmo que isto seja um profundo MISTÉRIO para a nossa razão tão pequena.

        A santa ceia é sempre o ponto alto de nossos cultos a Deus.  Lamentamos que em nossa IELB ela seja tão pouco valorizada. A Igreja Primitiva, repetimos, celebrava a santa ceia em todos os cultos. Somente quando problemas e doutrinas erradas começaram a penetrar na igreja cristã é que também se começou a dar pouco valor para a santa ceia.

        Quando falamos e pregamos sobre a santa ceia, sempre nos vêm à memória as questões práticas que, por exemplo, o apóstolo Paulo menciona em sua primeira epístola aos coríntios, quando lá ele teve que tratar de problemas existentes na congregação de Corinto, para quem ele escreveu as suas duas epístolas aos coríntios.  E é justamente um grave problema quanto à santa ceia que o levou a também tratar dela em sua carta. 

Para entendermos melhor um pouco mais da amplitude da doutrina da santa ceia, como ilustração vamos nos referir um pouco mais às questões envolvidas sobre a santa ceia naquela congregação, porque só Paulo trata das questões da dignidade e da indignidade.  Os evangelhos nada mencionam sobre isso.

A congregação de Corinto era composta em sua grande maioria de membros que tinham vindo das religiões pagãs.  Nos cultos das religiões pagãs se praticava toda a sorte de imoralidade e bebedeiras, pensando que com isto os adoradores estavam prestando seu culto aos deuses.  Aliás, a imoralidade sexual era o destaque de muitos cultos pagãos. 

E uma vez dentro da igreja cristã, algumas pessoas, por não terem entendido direito a doutrina da salvação e da santificação, achavam que podiam continuar a praticar certas coisas que eram contra a vontade de Deus.  Era costume também em Corinto fazer-se refeições em conjunto, ou confraternizações nos dias de cultos.  E nestas refeições em conjunto alguns se embebedavam a tal ponto que nem sabiam mais o que estavam fazendo, sendo que participavam assim da santa ceia, cambaleando em direção ao altar.

Paulo diz claramente que estas pessoas não participavam da santa ceia para serem perdoadas e fortalecidas em sua fé e amor a Deus e ao próximo.  Diz ele que estas pessoas estavam abusando da santa ceia.  Isto levou o apóstolo a repreender seriamente os faltosos e toda a congregação que tolerava tais acontecimentos em seu meio, quando ele também deu explicação sobre o que é realmente a santa ceia.

Como já dissemos, a santa ceia nada mais é do que Cristo presente com sua graça e perdão.   Ela é para nós um meio da graça, um sinal de Deus no qual ele nos dá, oferece e sela o perdão, a vida e a salvação.  Isto não depende de nós entendermos a santa ceia, mas de a aceitarmos, de crermos que Jesus realmente está presente neste santo sacramento.  E por isso ela traz para o pecador arrependido toda a disposição amorosa de Deus, todo o consolo que jamais outra coisa pode oferecer à alma aflita e atormentada em pecados.  Ela é, repito, um MISTÉRIO da sabedoria divina.  Contudo, ela sempre aponta para a morte redentora e a gloriosa ressurreição de Cristo.  Por meio da santa ceia Deus nos fala de um modo especial.  A alma do pecador não descansa enquanto não encontra a paz de Cristo.

Ao tratarmos de novo deste assunto, o fazemos por dois motivos básicos: 1º - a necessidade de nós continuarmos nos exortando, nos relembrando e revendo tamanho tesouro que é o Sacramento do Altar; 2º - procurarmos desfazer ideias erradas na mente de muitos luteranos a respeito da mesma.

- Por que alguns de nossos congregados tão pouco participam deste sacramento?  O primeiro motivo é a falta de reconhecimento dos pecados e a falta do desejo de receber o perdão dos pecados.  Quem não reconhece que sua vida espiritual diante de Deus não passa de um trapo imundo como escreve Isaias 64, que sozinha esta pessoa não tem condições e forças de reverter sua situação pecaminosa, mas prefere confiar assim mesmo nos farrapos de sua justiça própria, esta pessoa ainda não reconheceu quão fundo no pecado ela se encontra.  Proteste e bata o pé quem quiser. 

E a pessoa que vive longe da graça de Deus, e consequentemente vive uma vida longe da graça de Deus, pouco se importa ou tem pouco ou nenhum desejo de receber consolo.  Por isso muitos cristãos também exatamente dão pouco valor a este momento de festa que acontece aqui em cada vez que nos reunimos para celebrar o amor de Deus.

         Temos, talvez, pouco desejo do Sacramento do Altar? Examinemo-nos e vejamos se ainda estamos em pé, conforme o mesmo apóstolo admoesta em 2 co 13.5.  Lembramos da nossa confirmação/profissão de fé?  Se não temos desejo de manter comunhão com nosso amado Salvador, que nos ama e quer nos oferecer a vida eterna, então alguma coisa está fora de foco!  Então estamos jogando fora o caríssimo perdão de Cristo e nos colocando numa situação de grande perigo de um dia a porta da vida eterna estar fechada. 

O Senhor não deseja a morte espiritual de ninguém, mas quer nosso eterno bem.  Quem nesta vida não busca com alegria a presença de Cristo, mostra com isso que está vivendo no desprezo aberto e declarado da eterna bondade de Deus.  O pecador que não deseja o que de mais caro Deus lhe tem a oferecer, está doente em sua alma.  Precisa passar por uma “cirurgia” chamada de profundo e sincero arrependimento, se preciso acompanhado de lágrimas e tristeza.  Este é o remédio, mesmo que amargo para a alma de quem não tem prazer na graça de Deus.

        - Em segundo lugar existe falta de valorização e de participação da santa ceia porque muitos pensam que isto é costume, uma simples tradição.  Muitos pensam que têm que ir para a igreja pelo menos na sexta-feira santa, senão Deus fica bravo com eles, ou porque foram educados a procederem desta forma.  Mas Deus pensa diferente.  Quem só vai aos cultos e participa da ceia porque é costume, outra vez é preciso dizer a estes que não têm proveito, apenas participam para cumprir uma tradição.

        Irmãos, nós necessitamos todos os dias de sermos alimentados e fortalecidos em nossa fé.  É necessário sermos advertidos quando não mais desejamos a comunhão com Cristo, quando estamos dormindo no sono da indiferença.  Faz-se necessário que nós diariamente afoguemos o velho homem e diariamente renovemos nosso voto de fidelidade ao Senhor Jesus, porque bem sabemos que satanás não descansa um minuto sequer, tentando nos fazer tropeçar e dormir no sono espiritual.  Quando uma criança não quer mamar no seio da mãe, é  porque ela está doente.  Pedro escreve que devemos desejar, como criança recém-nascida, o genuíno “leite espiritual” do Evangelho.

        Venha a ela com um coração carregado de faltas e falhas e as deposite aos pés da cruz de Cristo.  Valorize a presença de teu Salvador.  Busque-o em fé verdadeira e em oração sincera.  Celebre com grande entusiasmo, festeje com alegria a vinda de Jesus.

        E mais um lembrete, uma pergunta final: Nada lhe impede de participar dignamente da mesa do Senhor?  Você está preparado/a?  Está em paz com Deus e com seu próximo?  Mesmo?   Verdadeiramente?  “Peguem e comam; isto é o meu corpo....  Bebam todos vocês porque isto é o meu sangue, que é derramado em favor de muitos para o perdão dos pecados”. 
Amém.



0 Responses to “Santa Ceia”

Postar um comentário

 

Novidades no Blog

- Projeto MEMÓRIA: Contribua com fotos/dados/vídeos/informações/depoimentos sobre a CELPAZ. Vamos compartilhar neste espaço a história da nossa comunidade!
- Envie suas fotos para serem publicadas no blog da comunidade. Não esqueça de indicar a categoria (EB, Confirmandos, Jovens, Servas, etc.), data e local do evento.

500 anos